Menos 30 Fest Fortaleza discute novas tecnologias e empreendedorismo

fortaleza, 23 de novembro de 2019-Menos30 Fest, evento que une empreendedorismo e tecnologia com foco no público jovem.  O festival de inovação e empreendedorismo da Globo tem parceria da TV Verdes Mares e apoio da Unifor (Universidade de Fortaleza.

“Como se faz um futuro?”. Com esta indagação e em busca de não de respondê-la mas de explorar as múltiplas possibilidades trazidas pela 4ª revolução, a revolução tecnológica, que transformará a forma de como trabalhamos, produzimos conhecimento e nos relacionamos que aconteceu no dia 23 de novembro a segunda edição do Menos 30 Fest Fortaleza.

Realizado pela Globo em parceria com a TV Verdes Mares e apoio da Universidade de Fortaleza, o evento apresentou ao público debates, palestras, oficinas e mentorias. Ao longo do dia foram abordados, entre outros temas, inteligência artificial, análise de dados, internet das coisas, jornada do consumidor, construção de produtos digitais e propósito de marca.

Menos 30 Fest1

A programação contou ainda com 12 oficinas práticas sobre design thinking, marketing digital, programação, empreendedorismo social e plano de negócios, entre outros assuntos, além de uma feira de produtores locais e DJ em um espaço ao ar livre na Unifor voltado para descompressão, networking e interação.  No total, 2393 pessoas foram atendidas nas oficinas, palestras do Palco Grandes Encontros e das Falas Afiadas.

A ideia foi abordar novas alternativas para jovens que estão se inserindo no mercado de trabalho, utilizando o empreendedorismo e a tecnologia para impulsionar a carreira profissional, bem como profissionais de todas as idades que buscam uma qualificação e novos conhecimentos na área.

Para Viridiana Bertolini, gerente de desenvolvimento institucional da Globo, os jovens estão buscando outras vivências nas experiências profissionais. “Hoje, temos cerca de 50 milhões de jovens entre 15 e 29 anos. E uma das grandes questões da juventude é a empregabilidade para o jovem que está se inserindo no mercado de trabalho. E esse jovem hoje busca outros caminhos para além do emprego formal. Ele tem uma veia empreendedora, criativa e autoral muito forte. Então, levar isso para a universidade é muito simbólico, porque é um ambiente de estímulo ao conhecimento e inovação”, destaca.

“Este ano a gente resolveu falar da construção do futuro, na aplicabilidade do uso da tecnologia e dados. Buscamos fazer uma construção crítica sobre o futuro das profissões nesse meio. Ao longo da programação, procuramos resgatar esses conceitos e descobrir que os jovens podem ter experiências educacionais que são inovadoras. Também foram destacadas as boas práticas ou soluções que estão sendo produzidas no Nordeste e no Ceará, que tem muito potencial internacionalmente”, ressaltou Bertolini.  Inove como um nordestino: iniciativas locais com alcance global

“Inove como um nordestino: iniciativas locais em escala global”, foi um dos temas das palestras do Palco Grandes Encontros. Mediada pelo jornalista e apresentador da TV Verdes Mares, Luiz Esteves, a palestra contou com as presenças de Sampaio Filho, presidente do Sindicato das Indústrias Metalmecânicas do Ceará (Simec), Marcela Fujiy, co-fundadora da Be. Labs, aceleradora de ideias e negócios de mulheres da Paraíba e José Milton de Sousa Filho, professor da Pós-Graduação em Administração de Empresas da Unifor. Nesta palestra foram apontados polos de inovação tecnológica que despontam na região Nordeste criando soluções e apresentados quem são os inventores nordestinos e quais são as inovações que servem de inspiração para todo o país.

Outro assunto do Palco Falas Afiadas foi a discussão “Daqui pra onde?”, mediada pela jornalista Renata Ceribelli, repórter do Fantástico, com as presenças de Ivan Patriota, diretor executivo do CESAR Labs; Eduardo Perez diretor de Data & Analytics do time de Inteligência Digital da Globo e Vasco Furtado, professor e diretor de Pesquisa e Inovação da Universidade de Fortaleza. O painel discutiu como as mudanças tecnológicas guiarão a humanidade para um futuro mais acessível, diverso e inclusivo ou excludente e desigual.